Programas Estratégicos de Cooperação

Programa Estratégico de Cooperação - Portugal - Guiné-Bissau (2014-2020)

O Programa Estratégico de Cooperação decorre da vontade política dos Governos da Guiné-Bissau e de Portugal em aprofundarem as relações de cooperação até 2020, representando um importante contributo para a estabilidade, a promoção do Estado de Direito e da Boa Governação, bem como para a erradicação da pobreza, visando o desenvolvimento sustentável da Guiné-Bissau e dando sequência ao Plano de Ação assinado em novembro de 2014.

A Guiné-Bissau tem vindo a demonstrar um forte compromisso com a estabilidade, o que constitui uma base indispensável ao seu desenvolvimento. Neste quadro, as relações de cooperação bilateral pautam-se por uma visão comum e valores partilhados.

O programa assenta no Plano Estratégico e Operacional "Terra Ranka" 2015-2020, que preconiza para a Guiné-Bissau um progresso social em ambiente de prosperidade e paz num contexto de desenvolvimento inclusivo e durável, com a participação de todos os guineenses, em particular os jovens como atores chave de transformação.

O modelo de desenvolvimento para os próximos anos apoia-se fortemente no capital natural e humano do país, permitindo dinamizar a economia e reforçar as capacidades institucionais e humanos do país por forma a alcançar um desenvolvimento sólido e sustentável com resultados mensuráveis e visíveis.

O programa sustenta-se, ainda, nos princípios do Conceito Estratégico da Cooperação Portuguesa 2014-2020, bem como nas lições e boas práticas da parceria entre os dois países, assumindo uma lógica transversal de Desenvolvimento de Capacidades.

Assim, o Programa Estratégico de Cooperação (PEC) traduz um forte compromisso entre as autoridades portuguesas e guineenses no sentido de realizar um conjunto de programas e projetos identificados pelos Signatários, que se pautem pelos princípios da construção da paz e a consolidação do Estado.

Programa Estratégico de Cooperação - Portugal - Timor-Leste (2014-2017)

O acordo reflete a elevação das relações de cooperação bilateral entre os Governos de Timor-Leste e Portugal a um novo patamar que tem em consideração a realidade atual e as respetivas políticas nacionais, bem como a vontade manifestada pelas autoridades timorenses de adoção de um "Programa de Cooperação baseado no Plano Estratégico de Desenvolvimento de Timor-Leste 2011-20130" (PED), nos Planos Estratégicos Setoriais Nacionais e no "Novo Acordo para o Envolvimento em Estados Frágeis", cujo processo de implementação merece a participação ativa da Cooperação Portuguesa.

O novo programa baseia-se igualmente nas estratégias setoriais da Cooperação Portuguesa, nos resultados da execução do "Programa Indicativo de Cooperação para Timor-Leste 2007-2010" e no novo "Conceito Estratégico da Cooperação Portuguesa 2014-2020", cujo objetivo fundamental, no contexto da política externa portuguesa, se prende com a contribuição para a erradicação da pobreza e para o desenvolvimento sustentável, num enquadramento de respeito pelos direitos humanos, pela democracia e pelo Estado de direito nos países parceiros.

O programa reconhece igualmente as profundas alterações verificadas na arquitetura internacional da Cooperação para o Desenvolvimento com o aparecimento de novos atores, novos modelos de funcionamento e novos desafios de natureza global e interdependente, designadamente as alterações climáticas, segurança alimentar ou pandemias.

Programa Estratégico de Cooperação - Portugal – São Tomé e Príncipe (2015-2020)

O novo programa estratégico de cooperação entre Portugal e São Tomé e Príncipe dedica 57,5 milhões de euros para projetos a desenvolver até 2020, dois terços dos quais para Educação, Formação e Cultura, Saúde e Assuntos Sociais. A maioria dos principais projetos que existiam no anterior programa, como sejam o Projeto Escola Mais, do Projeto Saúde para Todos e do Programa de Cooperação Técnico-Militar, irão manter-se.

O PEC tem uma maior concentração de verbas e de projetos, estes de maior envergadura, e com uma capacidade de impacto esperada mais significativa. Por outro lado, as intervenções previstas têm uma lógica participada e inclusiva, garantindo uma ligação dos projetos à realidade local.

O PEC integra as seguintes prioridades: Educação, Formação e Cultura (Incremento Programa Bolsas em conjunto com setor privado; Apoio à criação da Escola Portuguesa de São Tomé); Saúde e Assuntos Sociais (Capacitação Institucional na área da Saúde; Apoio à gestão do Hospital Ayres de Menezes; Apoio à reforma do setor da segurança social); Justiça (inspeção e formação, assessoria produção legislativa) e Segurança (Foco na Segurança Marítima); Energia e Ambiente (poderá também incluir ações nas áreas florestal, mar, etc); e Finanças.

É objetivo do programa articular a ajuda aos projetos em São Tomé com outras vertentes da cooperação, em linha com a estratégia do MNE de dar "um impulso acrescido à cooperação delegada, com fundos comunitários".

Programas Estratégicos de Cooperação com Cabo Verde, Moçambique e Angola

Os Programas com Moçambique e Angola estão em processo de negociação.

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.