Cuba: Joaquim Furtado na Celebração do 25 de Abril em Havana

Publicado em terça, 18 abril 2017 18:45

Para celebrar os 43 anos da Revolução dos Cravos estará este ano em Cuba o locutor que às 04h26 daquela madrugada do dia 25 de abril de 1974, aos microfones do Rádio Clube Português, se ofereceu para ler o comunicado do Movimento das Forças Armadas que anunciava ao povo o golpe de estado dos capitães cansados da guerra e da censura: Joaquim Furtado. E assim fez história: “Aqui posto de comando do Movimento das Forças Armadas.” Era a escolha da liberdade sobre a ditadura, eram os cravos nos canos das espingardas.

Fará história também em Cuba, no Instituto Cubano de Amizade com os Povos (ICAP), onde às 15h00 do dia 25 de abril de 2017 irá partilhar com cubanos e portugueses, também com o meio diplomático dos países da CPLP e da América Latina, as suas memórias desse dia e o seu olhar sobre a época, o antes e o depois.

Serão distribuídos cravos vermelhos pelos assistentes e oferecidos pequenos cadernos com poemas de abril, de Sophia de Mello Breyner, Manuel Alegre e José Carlos Ary dos Santos, em português e castelhano.

Autor de uma série documental importante sobre a Guerra Portuguesa em África, «A Guerra», composta por 42 episódios, para a qual gravou cerca de 260 entrevistas, vencedora do Prémio «Gazeta» em 2007, atribuído pelo Clube de Jornalistas e premiada como melhor programa de informação em Televisão, em 2010, atribuído pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), Joaquim Furtado dará também uma entrevista a uma rádio cubana, na parte da manhã.

«Capitães de Abril», de Maria de Medeiros, é o filme que será projetado às 18h00, no Centro para a Interpretação das Relações Culturais Cuba-Europa, no Palácio do Segundo Cabo, antecedido das palavras do embaixador de Portugal em Cuba, Luís Faro Ramos, e com a presença do jornalista Joaquim Furtado.

Reconstituição histórica, montada com sinceridade, algum romantismo e inteligência, «Capitães de Abril» é exibido pela primeira vez em Cuba, numa homenagem justa à memória de Salgueiro Maia e a um dia inesquecível que mudou Portugal, e a Europa.

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.