Novo fado na 8ª Mostra Portuguesa em Espanha

Os fadistas António Zambujo e Carminho apresentaram-se, em Madrid, na sala de espetáculos Galileo Galilei, na zona central da capital espanhola.

Os espetáculos são o exemplo da preocupação da 8ª edição da Mostra Portuguesa, a decorrer em Espanha, em levar ao público daquele país o que de mais inovador se faz no campo cultural, seja em Portugal seja na lusofonia.

As canções de António Zambujo, que sexta-feira cantou no Centro Cultural ‘La Beneficencia’, de Valência, são «parte da música mais interessante que se está a fazer agora mesmo em Portugal e vale bem a pena prestar-lhe atenção», dizem os organizadores da Mostra, que apostaram este ano «em várias figuras em franco processo emergente».

É assim que o ‘novo fado’ se apresenta em Espanha com vários dos seus nomes: Carminho, «um dos mais pujantes» que «na atualidade injetam vida verdadeira ao fado», já esteve a 6 de novembro em Oviedo, no I ciclo de noites de fado, onde atuou em outubro Joana Amendoeira e onde dará um espetáculo, em dezembro, Ana Sofia Varela, – tudo no âmbito da Mostra.

Mas um «programa cultural com clara vocação cosmopolita não podia subtrair-se à poderosa influência que as formas africanas exercem sobre o variado mostruário de manifestações artísticas de Portugal», consideraram os organizadores.

Brasil e Cabo Verde são dois pontos obrigatórios dessa «geografia sonora», já ilustrada por Fernanda Cabral e o DJ Tudo, a 5 de novembro, no Tempo Club de Madrid, no primeiro caso, e a concretizar no segundo caso por Lura, também sexta-feira na sala da coluna dos Círculo de Belas Artes de Madrid.

Programação «cosmopolita» que no campo musical ficará fechada a 23 de novembro no Instituto Cervantes de Madrid com o concerto da pianista Margarida Prates com temas de música erudita de António Fragoso, um «compositor da República» este ano centenária.

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.