Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva 2012

O Camões I.P. informa que, na sequência da reunião de júri ocorrida no dia 9 de julho de 2012, foram selecionados os quatro textos portugueses finalistas da sexta edição do Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva. São eles: Cruzeiro (pseudónimo João Fraga, inscrição número 1), A Herança do Pai (pseudónimo Diógenes, inscrição número 3), Nossa Senhora da Açoteia (pseudónimo Miguel Númeno, inscrição número 6), e Branco ou Um dia não teremos uma história para contar(pseudónimo Álvaro Rosa, inscrição número 7).

 

Os textos portugueses foram escolhidos entre os 18 admitidos a concurso e irão concorrer com as obras selecionadas pela Funarte, no Brasil, na etapa final. Um júri formado por três especialistas portugueses e três especialistas brasileiros vai analisar os oitos textos finalistas e determinar o vencedor. A obra premiada será editada nos dois países.

O Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva resulta de uma parceria entre o Camões I.P. e a Fundação Nacional de Artes – Funarte, e tem por objetivo impulsionar o aparecimento de novos dramaturgos e a escrita dramática em todos os seus géneros, reforçando a cooperação cultural entre ambos os países. O regulamento prevê a concessão de um prémio no valor de 15 mil euros para o autor do texto vencedor. 

Integraram o júri português desta 1.ª fase de seleção Manuel Coelho (ator e encenador – Teatro Nacional D. Maria II), Paulo Carretas (técnico superior da Direção-Geral das Artes - DGartes) e Rita Delgado Martins (investigadora do Centro de Estudos de Teatro da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa).

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.