Maputo: Exposição de artes plásticas de Sónia Sultuane - Códigos de Gaudí

O Centro Cultural da Embaixada de Portugal em Maputo inicia as suas atividades culturais do ano de 2013 com a inauguração da exposição de artes plásticas de Sónia Sultuane intitulada Códigos de Gaudí, na próxima 5ª Feira, dia 7 de fevereiro de 2013, às 18.30h. Este evento estará patente até dia 24 de fevereiro (domingo).

Serão ainda organizadas diversas atividades paralelas, merecendo destaque as “Conversas com:”

- Francisco Noa, com o tema “A Dimensão Estética na Era do Vazio”, no dia 13 de fevereiro às 18h00

- Lionel Papane, sobre “Portais para a Meditação” e

Denise Sultane, sobre “O Bem-estar Através da Cor/A Cor e as Sensações”, ambas no dia 20 de fevereiro às 18h00

- a própria artista, Sónia Sultuane, no domingo, dia 24 de fevereiro às 17h00.

Esta exposição – segunda individual de Sónia Sultuane no Camões – apresenta um conjunto de instalações de pintura. “Códigos de Gaudí foi como Sónia Sultuane decidiu denominar esta sua exposição”, numa homenagem às formas originais utilizadas por Antoni Gaudí, na sua interpretação da arquitectura moderna. Sónia Sultuane experimentou-as em Barcelona, num momento de particular afetividade, apresentando-nos agora a sua interpretação das sensações que ali viveu. Esta visão pessoal e afetiva dos conceitos imortais e universais de Gaudí transborda no “festivo, intenso e diversificado colorido, no carácter ornamental de cada quadro, nas suas formas curvas, na luminosidade das cores inventadas e reinventadas, na dimensão simbólica e poética dos elementos convocados e sobretudo no arrojado investimento nas asas de imaginação que nos levam muito além daquilo que é a nossa existência imediata, prosaica e contingente. Enfim, tal como a vida, a arte, por mais abstracta que ela seja, é um círculo perfeito. Neste caso, de um lirismo incontornável, tais são as dimensões de interioridade, e não só, que estes Códigos de Gaudí nos permitem entrever.” (Francisco Noa, na sua apresentação “Poemas pintados”, patente no catálogo da exposição)

Sónia Abdul Jabar Sultuane nasceu em Maputo a 4 de março de 1971. Estreou-se nas artes plásticas em 2005, tendo participado na exposição coletiva “Hora O” com o trabalho “De Dentro Para Fora”. Desde então integrou diversas exposições coletivas dentro e fora do país, destacando-se as recentes participações em duas coletivas na Itália (Milão e Piacenza). Em Março de 2008, foi uma das artistas convidadas e um dos membros da organização do workshop internacional organizado pelo MINED e o Muyehlekete-Triangle em Maputo. Em 2009 apresentou no Instituto Camões, em Maputo e na Beira, a sua primeira individual, intitulada “Palavras que Andam”. Ainda em 2009 (junho), destaca-se a sua primeira exposição individual internacional em Macau com o título “O Oculto”, aprestando os trabalhos “O Meu Verdadeiro Eu”, “Sou Poesia” e “Viagem Espiritual”. Em 2011 assumiu o papel de curadora na exposição “Mulheres – Descortinando”, organizada pela Galeria Kulungwana.

Artista multifacetada, Sónia Sultuane tem colaborado noutras disciplinas artísticas como a música, a dança e a fotografia. É também poeta e conta com três obras publicadas, Sonhos (2001), Imaginar o Poetizado (2006) e No Colo da Lua (2009).

www.instituto-camoes.org.mz

 

 

Camões, I.P.
Usamos cookies no nosso site para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização.